Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ADIDAS ANGARIA DINHEIRO PARA EMPODERAMENTO DAS MULHERES

por Mäyjo, em 18.07.17

Adidas UltraBOOST X

Fotos: Adidas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:25

PORTUGUESES CRIAM DISPOSITIVO PARA MEDIR TAXA DE ALCOOLÉMIA ATRAVÉS DO SMARTPHONE

por Mäyjo, em 31.12.16

Se vai passar o Fim de Ano fora de casa, é capaz de ser boa ideia ter esta tecnologia à mão

alcool

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) criou um dispositivo eletrónico que, ligado a um telemóvel, mede a taxa de alcoolémia. Para accioná-lo o condutor só tem de soprar para um sensor ligado por Bluetooth ao seu smartphone.

 

Esta aplicação foi desenvolvida no Departamento de Engenharias da UTAD, no âmbito do mestrado em engenharia eletrotécnica e de computadores realizado por Ana Patrícia Queirós Gomes, sob a orientação dos investigadores Lio Fidalgo Gonçalves e Raul Morais dos Santos.

O alcoolímetro smartwatch wearable integra uma aplicação móvel que possibilita a rápida e fácil estimativa da taxa de alcoolémia por analogia à quantidade de álcool detectado na respiração do seu utilizador. Já testado, este sistema mostrou resultados cuja precisão foi confirmada através da sua comparação com o aparelho atualmente utilizado pelo comando da Polícia de Segurança Pública de Vila Real.

Os responsáveis por este trabalho reconhecem a importância, não só da “oportunidade de o condutor poder aferir a taxa de alcoolemia a qualquer hora com a conveniência de um dispositivo wearable, mas sobretudo de, através desta monitorização, poderem resultar grandes progressos na prevenção de acidentes rodoviários”.

Foto: via Creative Commons

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:44

Ajude a mapear as plantas invasoras

por Mäyjo, em 14.11.16

 

Nesta altura que ainda está em flor, ajude a mapear a erva-das-Pampasplanta exótica e invasora em Portugal, também conhecida por penachos ou plumas (Cortaderia selloana).

As espécies invasoras são uma ameaça à biodiversidade,  levando ao perigo de extinção espécies autóctones e causando o efeitos negativos a nível ambiental, económico, e na saúde pública.
 
Assim, partilhamos aqui o pedido de ajuda para o mapeamento da espécie invasora Cortaderia selloana.

Há por aí cidadãos-cientistas?

 
Precisa-se de ajuda de cidadãos-cientistas para mapear a invasora erva-das-Pampas.
 
Mas o que são plantas invasoras? 
 
Plantas invasoras são plantas que vieram de outros locais do mundo (exóticas), adaptaram-se muito bem no nosso território, e hoje em dia reproduzem-se e dispersam pelos seus próprios meios para longe dos locais onde foram introduzidas pelo Homem, causando impactes ambientais e económicos negativos.

 
 
Entre as piores plantas invasoras em Portugal, encontra-se a erva-das-Pampas, também conhecida por penacho ou plumas. Nesta altura do ano, esta espécie está em flor pelo que é mais fácil distingui-la na paisagem e vê-la onde geralmente não vemos.
Por isso, é a altura ideal para pedir a ajuda de todos para a colocar no mapa de avistamentos que existe no invasoras.pt – este mapa é uma plataforma de ciência-cidadã em que se conta com a colaboração de todos os cidadãos para construir o mapa das plantas invasoras em Portugal.

Quem pode colaborar?  
Todos! Todos podem ser cidadãos-cientistas ao ajudar a recolher informação sobre a localização das plantas invasoras.

Veja como pode ajudar (fonte e mais informação) em: http://invasoras.pt/vamos_colocar_a_erva_das_pampas_no_mapa/

Para mais informação, contactar invader@uc.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:21

GONDOMAR: RECOLHA DE RESÍDUOS NAS FESTAS DO CONCELHO VAI AJUDAR BOMBEIROS

por Mäyjo, em 10.10.16

coleta-seletiva

Durante as Festas do Concelho, Gondomar será palco do lançamento de um projeto-piloto que alia as causas ambientais, neste caso a separação de resíduos, com as questões sociais.

 

Numa parceira entre a Câmara Municipal de Gondomar e a Lipor (Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto) o projeto desafia os habitantes de Gondomar a separarem as suas embalagens de plástico e metal em contentores devidamente identificados para o efeito. Posteriormente, por cada cinco quilos de embalagens de plástico e metal separados, entre 23 de Setembro e 9 de Outubro, será doado um euro para os bombeiros voluntário do município.

A ação almeja promover uma maior consciência cívica da população para a necessidade de separação dos resíduos, ao mesmo tempo que ajuda as corporações de bombeiros voluntários da cidade.

O projeto contou ainda com a participação da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, responsável pela identidade gráfica da iniciativa.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:09

INDONÉSIA PROCURA ILHA PARA COLOCAR OS MILHARES REFUGIADOS QUE ALI CHEGAM TODOS OS ANOS

por Mäyjo, em 01.12.15

Indonésia procura ilha para colocar os milhares refugiados que ali chegam todos os anos

A Indonésia está à procura de uma ilha onde possa colocar cerca de 10.000 refugiados que vivem no País – e outros que possam chegar nos próximos anos, avançou o Vice. De acordo com o site, o País recebe milhares de refugiados por ano, de várias partes do mundo em conflito – sobretudo Irão, Afeganistão, Myanmar, Sri Lanka ou Somália.

Na verdade, a Indonésia não assinou o programa de refugiados internacionais das Nações Unidas, por isso não tem obrigação para os receber, mas muitas destas pessoas acabam por fazer do País uma casa temporária até procurarem asilo junto da Austrália.

O problema é que o Governo australiano anunciou que o País não receberá mais nenhum refugiado que tenha chegado à Indonésia depois de 1 de Julho. “Estamos a tentar que as pessoas deixem de pensar que chegar à Indonésia é meio caminho andado para entrar na Austrália”, explicou o Ministro da Imigração australiano, Scott Morrison.

Assim, a Indonésia está à procura de soluções para resolver o problema. “Só precisamos de encontrar uma ilha”, explicou o ministro dos Direitos Humanos e Justiça indonésio, Yasonna Laoly.

Segundo Elaine Pearson, directora da Human Rights Watch (HRW) da Austrália, a política de recusar a entrada a refugiados pode ser um impacto muito grande, sobretudo, nas crianças. “Esta decisão desastrosa obrigará as crianças a permanecer no limbo indonésio mais tempo. Isso quer dizer que existe uma maior hipótese delas serem vítimas de abuso”, continuou.

Em poucos anos, com o previsível aumento de conflitos do mundo, a taxa de refugiados deverá aumentar drasticamente, prevê as Nações Unidos. A seu tempo, juntar-se-lhes-ão os refugiados climáticos.

Para onde irão estes viver?

Foto: amira_a / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:53

HAVAI: AUTOCARROS PÚBLICOS VELHOS VÃO SER TRANSFORMADOS EM ABRIGOS PARA SEM-ABRIGO

por Mäyjo, em 17.07.15

autocarros_SAPO

No último ano, Honolulu, a capital do estado norte-americano do Havai, esteve sob fogo pela forma como tratou os sem-abrigo na ilha de Oahu, nomeadamente através das forças policiais e da tentativa de relocar estas pessoas para uma ilha remota, onde estivessem longe dos turistas.

Depois de vários protestos pela forma como os sem-abrigo foram tratados, o director-executivo municipal para a habitação, Jun Yang, quer compensar estas pessoas e remodelar antigos autocarros públicos que já não circulam para que possam servir de casa para os sem-abrigo. O objectivo é que estas casas se possam movimentar pela cidade e proporcionar abrigo, banhos e algum lazer a parte da população de sem-abrigo de Honolulu, escreve o Inhabitat.

Os autocarros estão em bom estado e funcionam, simplesmente foram retirados de circulação pela quilometragem que já apresentavam. A autarquia de Honolulu concordou em ceder 70 destes veículos para que possam ser transformados em abrigos. Alguns dos autocarros vão apenas servir propósitos de higiene, oferecendo banhos, outros vão apenas ter camas e outros vão ser apenas espaços de lazer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:51

OS PAÍSES MAIS CORRUPTOS DO MUNDO

por Mäyjo, em 01.05.15

somalia_SAPO

A Somália e a Coreia do Norte são os países mais corruptos do mundo, de acordo com uma lista elaborada pela Transparency International relativa a 2014 e que contabiliza os níveis de corrupção de 175 países. No ranking (que pode ver, na íntegra, abaixo), as pontuações mais baixas são um sinal de “subornos muito difundidos, falta de punição para corrupção e instituições públicas que não correspondem às necessidades dos cidadãos”.

Na lista, o resultado de zero (0) é dado a um país altamente corrupto e de cem (100) para um país bastante transparente. Não existe nenhum país com pontuação de zero ou cem, mas a Somália e a Coreia do Norte estão perto do zero e a Dinamarca e Nova Zelândia do 100, com pontuações de 92 e 91, respectivamente.

Portugal encontra-se na 31ª posição da lista, à frente de Israel., Espanha, Itália ou Coreia do Sul, mas atrás de países como Barbados, Estónia, St. Vicente e Granadinas, Butão ou Botswana. Na lista de países de língua oficial portuguesa, destaque para a posição de Cabo Verde (42º lugar e um dos melhores classificados africanos) e, pela negativa, do Brasil (69ª lugar), São Tomé e Príncipe (76º), Moçambique (119ª), Timor-Leste (133ª) ou Angola e Guiné-Bissau (161º).

Veja a lista completa.

 

1 Dinamarca 92
2 Nova Zelândia 91
3 Finlândia 89
4 Suécia 87
5 Noruega 86
5 Suíça 86
7 Singapura 84
8 Holanda 83
9 Luxemburgo 82
10 Canadá 81
11 Austrália 80
12 Alemanha 79
12 Islândia 79
14 Reino Unido 78
15 Bélgica 76
15 Japão 76
17 Barbados 74
17 Hong Kong 74
17 Irlanda 74
17 Estados Unidos 74
21 Chile 73
21 Uruguai 73
23 Áustria 72
24 Bahamas 71
25 Emirados Árabes Unidos 70
26 Estónia 69
26 França 69
26 Qatar 69
29 St. Vicente e Granadinas 67
30 Butão 65
31 Botswana 63
31 Chipre 63
31 Portugal 63
31 Porto Rico 63
35 Polónia 61
35 Taiwan 61
37 Israel 60
37 Espanha 60
39 Dominica 58
39 Lituânia 58
39 Eslovénia 58
42 Cabo Verde 57
43 Coreia do Sul 55
43 Letónia 55
43 Malta 55
43 Seychelles 55
47 Costa Rica 54
47 Hungria 54
47 Maurícia 54
50 Geórgia 52
50 Malásia 52
50 Samoa 52
53 República Checa 51
54 Eslováquia 50
55 Bahrain 49
55 Jordânia 49
55 Lesotho 49
55 Namíbia 49
55 Ruanda 49
55 Arábia Saudita 49
61 Croácia 48
61 Gana 48
63 Cuba 46
64 Omã 45
64 Macedónia 45
64 Turquia 45
67 Kuwait 44
67 África do Sul 44
69 Brasil 43
69 Bulgária 43
69 Grécia 43
69 Itália 43
69 Roménia 43
69 Senegal 43
69 Suazilândia 43
76 Montenegro 42
76 São Tomé e Príncipe 42
78 Sérvia 41
79 Tunísia 40
80 Benim 39
80 Bósnia Herzegovina 39
80 El Salvador 39
80 Mongólia 39
80 Marrocos 39
85 Burkina Faso 38
85 Índia 38
85 Jamaica 38
85 Peru 38
85 Filipinas 38
85 Sri Lanka 38
85 Tailândia 38
85 Trinidad e Tobago 38
85 Zâmbia 38
94 Arménia 37
94 Colômbia 37
94 Egipto 37
94 Gabão 37
94 Libéria 37
94 Panamá 37
100 Argélia 36
100 China 36
100 Suriname 36
103 Bolívia 35
103 México 35
103 Moldávia 35
103 Níger 35
107 Argentina 34
107 Djibouti 34
107 Indonésia 34
110 Albânia 33
110 Equador 33
110 Etiópia 33
110 Kosovo 33
110 Malawi 33
115 Costa do Marfim 32
115 República Dominicana 32
115 Guatemala 32
115 Mali 32
119 Bielorrússia 31
119 Moçambique 31
119 Serra Leoa 31
119 Tanzânia 31
119 Vietname 31
124 Guiana 30
124 Mauritânia 30
126 Azerbaijão 29
126 Gâmbia 29
126 Honduras 29
126 Cazaquistão 29
126 Nepal 29
126 Paquistão 29
126 Togo 29
133 Madagáscar 28
133 Nicarágua 28
133 Timor-Leste 28
136 Camarões 27
136 Irão 27
136 Quirguistão 27
136 Líbano 27
136 Nigéria 27
136 Rússia 27
142 Comoros 26
142 Uganda 26
142 Ucrânia 26
145 Bangladesh 25
145 Guiné-Conakri 25
145 Quénia 25
145 Laos 25
145 Papua Nova Guiné 25
150 República Centro Africana 24
150 Paraguai 24
152 República do Congo 23
152 Tajiquistão 23
154 Chade 22
154 República Democrática do Congo 22
156 Cambodja 21
156 Myanmar 21
156 Zimbabué 21
159 Burundi 20
159 Síria 20
161 Angola 19
161 Guiné-Bissau 19
161 Haiti 19
161 Venezuela 19
161 Iémen 19
166 Eritreia 18
166 Líbia 18
166 Uzbequistão 18
169 Turquemenistão 17
170 Iraque 16
171 Sudão do Sul 15
172 Afeganistão 12
173 Sudão 11
174 Coreia do Norte 8
174 Somália 8

Foto: John Martinez Pavliga / Creative Commons

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:15

TOMMY KLEYN, O HOLANDÊS QUE SE IRRITOU COM A QUANTIDADE DE LIXO NO CAMINHO PARA O TRABALHO

por Mäyjo, em 28.04.15

Quando o lixo se torna irritante

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:26

Um bom exemplo de cidadania

por Mäyjo, em 01.02.15

MUNDIAL: ADEPTOS DO JAPÃO LEVAM SACOS PARA RECOLHER LIXO DO ESTÁDIO (COM FOTOS)Mundial: adeptos do Japão levam sacos para recolher lixo do estádio (com FOTOS)

Minutos depois de terminar o jogo entre o Japão e a Costa do Marfim, realizado na madrugada de 14 para 15 de Junho, centenas de adeptos japoneses recolheram todo o lixo por si deixado nas bancadas. As fotos correram mundo: munidos de sacos azuis, fãs japoneses retiraram todo o lixo das bancadas que ocuparam durante os noventa minutos do jogo. Por uns momentos, o Mundial deixou os relvados e centrou-se nas bancadas vazias.

Apenas quatro dias depois, o Japão voltou a jogar, desta vez frente à Grécia. Apesar do mau resultado, o cenário repetiu-se: centenas de adeptos a recolher o lixo das bancadas, num estádio já quase vazio.

Segundo o jornal brasileiro Globo, os adeptos japoneses utilizaram os sacos azuis, durante o jogo, para apoiar a equipa – que veste de azul, claro. Pouco antes do jogo terminar, já era possível vez dezenas de fãs a colocar o lixo nos respectivos sacos. Mal o árbitro apitou para o fim da partida, todos eles passaram à fase da limpeza da Arena das Dunas, em Natal.

“É fantástico e um grande exemplo para nós, brasileiros”, explicou o engenheiro Ney Wagner Dutra ao Globo. “Temos que os ajudar. Trouxe os meus dois filhos e o exemplo está garantido”.

O que é surpresa para os restantes adeptos do futebol não passa de rotina para os japoneses. Segundo o Globo, outros adeptos presentes no estádio acabaram, eles próprios, por recolher o seu lixo.

O Globo afirma que os japoneses recolheram, inclusive, lixo deixado por outras pessoas. “Resultado: filas e mais filas de arquibancadas sem lixo no sector onde a claque do Japão ficou concentrada”, explicou o Globo.

Segundo um dos japoneses entrevistados pelo site brasileiro, a limpeza das bancadas é habitual no país nipónico. “Fazemos sempre isto, e não sabíamos que seria tão comentado. Aliás, até nos tiram fotografias”. Veja algumas delas.

 

Civismo japonês invade Mundial

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:02


Este blog disponibiliza informação com utilidade para quem se interessa por Geografia. Pode também ajudar alunos que por vezes andam por aí desesperados em vésperas de teste, e não só, sem saber o que fazer...

Mais sobre mim

foto do autor


Siga-nos no Facebook

Geografando no Facebook

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2019

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D